top of page

Forbes - Dia do Livro: executivas e empresárias indicam as obras que transformaram suas carreiras

Dos romances aos negócios, elas contam algumas das leituras que marcaram suas trajetórias para que você se inspire e comece um livro novo hoje mesmo





Dos romances aos negócios, os livros fazem parte da rotina dos grandes líderes. Estudos mostram que CEOs e empresários bem-sucedidos leem mais do que a média.


Entre eles, Oprah Winfrey atribui grande parte do seu sucesso à leitura. “Tenho uma dívida de gratidão com todos os brilhantes autores que me levaram à conclusão: não há vida completa sem livros”, disse a apresentadora, que lidera um clube do livro.


Aproveitamos o Dia do Livro, comemorado nesta terça-feira (23), e pedimos indicações a executivas e empreendedoras que lideram grandes empresas, criaram negócios inovadores e gerenciam equipes de sucesso.


Aqui, elas contam algumas de suas leituras que marcaram suas trajetórias para que você se inspire e comece um livro novo hoje mesmo. E também provam que, mesmo em um mundo tomado por telas, redes sociais e plataformas de inteligência artificial, os livros sempre terão seu lugar e valor – seja como fonte de informação, inspiração ou válvula de escape.


Veja as leituras que transformaram as vidas e carreiras destas mulheres


Camila Farani, sócia-fundadora da G2 Capital, conselheira e investidora-anjo


“Comece por você” (Reid Hoffman), “Newgotiation” e “O que eu sei de verdade” (Oprah Winfrey)


Foi um livro que me trouxe o seguinte aprendizado: você pode não ser a pessoa mais inteligente, mais poderosa ou com mais recursos da sala, mas se você tiver inteligência e energia suficiente pra estar ao lado dessas pessoas, com certeza um dia você vai atingir seus objetivos. No aspecto da carreira, esse livro me tirou de situações em que eu achava que estava perdida, e eu sempre lembro dessa frase e faço investimentos constantes em conhecimento e networking estratégico para estar ao lado dessas pessoas. O segundo é o “Newgotiation”, que fala bastante sobre estratégias de negociação, e negociar e vender permearam a minha vida inteira. Mas o mais importante é negociar com si mesmo, com o seu tempo, suas escolhas, aquilo que vai te trazer mais liberdade e fazer com que você tome as escolhas mais importantes, que via de regra são as decisões difíceis. E por último “O que eu sei de verdade”, da Oprah Winfrey, que é uma leitura muito genuína e simples sobre a vida, sendo a gigante que ela é, e num determinado momento ela diz que sempre que você estiver diante de uma situação muito difícil, você tem que sempre pensar: se eu tirasse o medo e a insegurança dessa equação, eu tomaria essa decisão? Essa é a resposta, e eu também uso bastante isso.


 

Lela Brandão, podcaster e fundadora da Lela Brandão Co.


“O Ato Criativo” (Rick Rubin)


Esse foi o melhor livro que eu li em 2023! Nele, Rick Rubin, um produtor super icônico que já trabalhou com nomes que vão de AC/DC a Ariana Grande, compartilha tudo que aprendeu nos seus anos de carreira observando criativos e trabalhando com a criatividade. É uma obra que me ajudou muito a ter clareza sobre os meus próprios processos, uma leitura muito leve e gostosa, que recomendo muito pra quem trabalha ou se interessa por criatividade. Esse é um livro que eu gostaria de desler, só pra poder ler de novo pela primeira vez!


 

Auana Mattar, CIO da TIM


“Escute as feras” (Nastassja Martin)


Sempre tive uma grande atração pessoal pela leitura. A mitologia grega me fascina, e alguns poemas marcaram minha vida. Gosto de destacar escritoras maravilhosas que me acompanharam desde a infância, como Cecília Meireles, Cora Coralina, Lygia Fagundes Telles e Adélia Prado. São tantas e tão diferentes entre si, mas ajudaram a forjar a estrutura do meu gosto literário. Dos livros que li nos últimos meses, recomendo muito “Escute as feras”, da antropóloga francesa Nastassja Martin. Esse livro me tocou profundamente. O relato vivido por ela, que trava uma luta com um urso na Sibéria, mostra a capacidade interior de luta, de enfrentamento, de transformação. Como CIO, meu dia a dia é tão direcionado para a tecnologia, inovação… ler esse livro me conectou com vários campos da minha mente e despertou sentimentos, emoções.”


 

Erica Abreu, diretora de serviços da NTT Data


“Quarto de Despejo” (Carolina Maria de Jesus)


A Carolina de Jesus, que escreveu o “Quarto de despejo” me ensinou a trabalhar com as ferramentas que eu tinha. Ela era uma catadora de papel e publicou o livro que foi um best-seller. Eu olhava para ela, uma mulher negra, pobre, da periferia de São Paulo, e pensava: como ela conseguiu fazer isso? Ela não tinha nada e foi uma inspiração para mim.


 

Patricia Lima, fundadora da Simple Organic


“O Despertar do Universo Consciente” (Marcelo Gleiser)


O livro aborda um manifesto para o futuro da humanidade, apresentando uma perspectiva forte e ambiciosa. Mesmo lidando com um tema complexo e urgente, o autor consegue transmitir uma mensagem positiva, o que torna a leitura envolvente e acessível para todos, mesmo para aqueles que não estão familiarizados com o assunto. Provoca reflexões importantes, nos incentivando a sair da zona de conforto. A escrita destaca a importância de olhar para os povos indígenas como exemplo, especialmente em um momento de urgência climática. Além disso, oferece reflexões práticas para o dia a dia, tornando a leitura relevante e estimulante para qualquer pessoa, independentemente de sua área de atuação.


 

Luana Génot, CEO e fundadora do ID_BR


“Power for All” (Julie Battilana)


“Power for all” (“Poder para todos”, em tradução livre), da professora Julie Battilana e Tiziana Casciaro. O livro fala sobre refletir e como navegar nas dinâmicas de poder e convida a olhar para o poder além das hierarquias, como ele pode funcionar no dia a dia. Ter esses ensinamentos escritos por uma mulher traz um olhar mais real e holístico, já que por anos e anos entendemos poder como algo masculino, sujo e distante para muitos. Não por ensinamento direto, mas quase todas as relações de poder estavam centradas em homens, especialmente homens brancos.


 

Daniela Sagaz, head de diversidade da Mondelez


“Diversidade e Inclusão: e suas dimensões” (coordenação editorial: Luciana Amato)


O livro Diversidade e Inclusão e suas dimensões é uma leitura obrigatória para todas as pessoas que desejam fazer a diferença na sociedade. Neste livro, são abordados conceitos, histórico e a importância da diversidade e da inclusão nas organizações. Reflexões em torno da estratégia, cultura, comunicação e liderança inclusiva, além de definições sobre que faz a área de Inclusão e Diversidade, assim como os grupos voluntários de diversidade.


 

Adriana Alcântara, diretora-geral da Audible, serviço de audiolivros da Amazon


“Potencial Oculto” (Adam Grant, narrado por Luciano Andrey)


Na obra “Potencial Oculto: Como extrair o melhor de você e dos outros”, o psicólogo organizacional Adam Grant conta diversas histórias inspiradoras e curiosas, como o que acontece nas salas de aula da NASA até sobre atletas olímpicos. O autor explora a ideia de que podemos sempre mais, mas de um jeito gentil com nós mesmos. Tanto na área profissional quanto no pessoal, podemos aprimorar os nossos dons, e esse título nos faz propõe esse exercício, mostrando que o progresso depende mais do quanto você aprende do que do quanto você se esforça. Ao ingressar no desafio de lançar a Audible no país, me dediquei a me aprofundar no segmento editorial, com a naturalidade de reconhecer que por mais experientes que somos, sempre podemos nos desenvolver, mas sem autocrítica excessiva e autossabotagem.


 

Kuntuala Oliveira,  diretora de vendas da Oracle Brasil


“Dar e receber: Uma abordagem revolucionária sobre sucesso, generosidade e influência” (Adam Grant)


O livro traz reflexões profundas sobre a importância de estabelecer limites saudáveis nas relações. Ele explora a conexão entre a capacidade de doação e o sucesso pessoal e profissional, fornecendo insights valiosos para o desenvolvimento de líderes eficazes. Ao longo da minha jornada como líder, esse livro foi um aliado poderoso, que me ajudou a compreender que a empatia muitas vezes requer tomar decisões difíceis e assumir posições firmes. Ele também me incentivou a aprofundar meu entendimento sobre o verdadeiro significado do sucesso e a visualizar o caminho que desejo seguir para alcançar minhas metas e aspirações na carreira.


 

Ana Paula Magri, general manager da Pierre Fabre Brasil


“Not the End of the World: How We Can Be the First Generation to Build a Sustainable Planet” (Hanna Ritchie)


Uma obra que deixou uma marca profunda em mim e que recomendo a todos. É fundamental para despertar a urgência de adotarmos uma abordagem mais sustentável em relação ao nosso planeta. Ritchie aborda detalhadamente os desafios ambientais atuais e oferece soluções práticas para enfrentá-los. Diante das evidências das mudanças climáticas e da crise ambiental, essa obra se destaca pela sua capacidade de sensibilização e contribuição para a busca de um futuro mais promissor e sustentável para as próximas gerações.


 

Luanda Vieira, jornalista, podcaster e influenciadora


"Bolo Preto" (Charmaine Wilkerson)


A minha indicação é “Bolo Preto” (Editora Paralela), de Charmaine Wilkerson. Ele é um romance que nada tem a ver com carreira, mas me inspira profissionalmente justamente por retratar o incômodo e a culpa do “e se?” e que conviver com a incerteza do que poderia ter sido é perturbador quando a gente entende que não dá mais tempo de fazer diferente. Encarei como um incentivo para rever o que poderia estar paralisando as minhas próximas escolhas profissionais, além de ter sido um estímulo para tomar decisões sem medo.


 

Joana Maria Henklein, managing director da Accenture


“Faça Acontecer” (Sheryl Sandberg)


A partir da leitura desse livro, construí pequenos hábitos para que meu potencial como liderança feminina não seja limitado pelo ambiente ou pela minha própria “síndrome da impostora”. Aprendi que eu, e todas as mulheres líderes, podemos e devemos nos sentar na mesa de grandes negociações. Que a liderança feminina traz, sim, um novo olhar para os negócios e deve expor essa visão de forma clara nas empresas, pois pode criar novas solução para velhos problemas.


 

Sandra Munoz, diretora Trade&Capital Market na Cargill


“A Coragem para Liderar” (Brené Brown)


O livro aborda a liderança pela ótica da vulnerabilidade, humaniza nosso papel como líderes e nos ajuda a ter uma maior conexão com as equipes.


 

Natália Paiva, diretora-executiva do Mover (Movimento pela Equidade Racial)


“De Passagem” (Nella Larsen)


Além de ser tematicamente forte e original, sobre o colorismo nos Estados Unidos do início do século XX (mesmo sob Jim Crow), o livro é belamente escrito, foco narrativo sofisticado, mostrando a complexidade da existência humana, em especial de mulheres negras em sociedades racistas.


 

Ana Paula Mussel, diretora global de tecnologia da Oracle


“Como ter um dia ideal” (Caroline Webb)


Um dos meus favoritos. Foi importante para encarar um super desafio na carreira! Traz dicas práticas para ter clareza de objetivos e para manter a saúde mental. “A forma como vivemos o dia é, obviamente, a forma como vivemos a vida”- Annie Dillard


Através de técnicas simples baseadas em pesquisas científicas de economia, psicologia e neurociência, ele ajuda a ser mais eficiente no dia a dia.  Está dividido em 7 partes, com total de 21 capítulos, que podem ser lidos separadamente pelo tema que mais interessar.


 

Ana Isabel Carvalho Pinto, cofundadora e CMO do Shop2gether


“Mulheres invisíveis” (Caroline Criado Perez)


O livro promove uma reflexão crucial sobre a importância de reconhecer e valorizar a diversidade de experiências femininas. Com sensibilidade e empatia, “Mulheres Invisíveis” convida os leitores a enxergarem além das superfícies, abrindo espaço para uma discussão essencial sobre igualdade de gênero.


 

Geovana Quadros, fundadora da Plataforma Mulheres Inspiradoras


“Mindset: A Nova Psicologia do sucesso” (Carol S. Dweck)


A professora de Stanford Carol Dweck, após décadas de pesquisa, desenvolveu neste livro um conceito sobre atitude mental com que encaramos a vida e que é crucial para o sucesso. Ao longo dos 20 anos da minha carreira como liderança feminina e mais de 9 anos da Plataforma Mulheres Inspiradoras, convivendo com líderes de sucesso em diferentes setores, pude fazer uma análise desse estudo versus os padrões de mentalidade e comportamento específicos em mulheres nesta posição, o que chamo de “Mentalidade das Mulheres Inspiradoras”, e como podemos incrementar em nosso dia a dia. Foi uma virada de chave para mim.


 

Renata Rivetti, fundadora da Reconnect Happiness at Work


“Em busca de sentido” (Viktor Frankl)


O livro que mudou minha vida e carreira foi “Em busca de sentido” de Viktor Frankl, pois traz a visão real da vida de um neuropsiquiatra austríaco que passou pelo horror do holocausto, mas seguiu em busca de uma vida com sentido. Viktor Frankl traz um olhar humano e esperançoso que o ser humano é capaz de enfrentar grandes sofrimentos quando tem um significado maior. O livro me trouxe uma reflexão de buscar uma vida mais significativa e não esperar as circunstâncias externas para ser feliz.


 

Solange Feliciano, conselheira e cofundadora da Black Women Consultoria


“O momento de Voar: Como o empoderamento feminino muda o mundo” (Melinda Gates)


No ano de 2021, durante o auge da pandemia, assumi a gestão da primeira turma do programa “Black Women In Tech” da Microsoft Brasil, enquanto iniciava minha jornada como empreendedora e colaboradora CLT pela primeira vez. Ao término do curso, decidimos fornecer kits para capacitar as mulheres participantes. Fui responsável pela montagem desses kits, e incluí um livro significativo. Após a leitura, compreendi que aquele ano representava uma oportunidade para alçar voos e percebi que meu trabalho nas cinco turmas do projeto tinha sido dedicado a fortalecer a determinação das mulheres para não desistirem de seus objetivos futuros. Hoje, sou dona da Black Women, uma startup que capacita meninas e mulheres em cloud computing.


 

Milena Freire Mollo, diretora comercial Tivoli Mofarrej São Paulo


Seja Útil: 7 ferramentas pra vida” (Arnold Schwarzenegger)


A jornada incansável em direção a uma carreira sólida me presenteou neste livro, com a compreensão reconfortante de que encontrar inspiração e buscar estímulos constantes não apenas nos mantém em movimento, mas também nos impulsiona a evoluir. Portanto, nossa presença neste mundo não se resume apenas a existir, mas sim a progredir, prosperar e celebrar cada conquista ao longo do caminho.


 

Maria Eduarda Silveira, headhunter e sócia-fundadora da BOLD HRO


“Empatia Assertiva” (Kim Scott)


O livro que escolhi é o “Empatia Assertiva”, da Kim Scott, uma executiva do Vale do Silício. Quando li, foi muito importante para eu conseguir colocar em prática duas características que tenho como gestora. Uma delas é ser exigente, que cobra por resultados e que preza pelo alto desempenho da equipe e desenvolvimento dos

profissionais que trabalham comigo. Mas, ao mesmo tempo, gosto de ter uma gestão humanizada, com empatia, gosto de ouvir as pessoas e ter um olhar para o indivíduo. E esse livro foi essencial para eu entender que as duas coisas eram importantes. A obra fala sobre a importância de ter conversas francas com o seu time para que eles entendam que você realmente se importa pessoalmente com cada um deles, mas também desafia profissionalmente. Já li mais de uma vez, e sempre indico para líderes que de alguma forma precisam equilibrar esses pratinhos entre os resultados e, ao mesmo tempo, o olhar humano para a equipe.


 

Paula Martinelli, VP de Payroll da Neon


“Pense de novo: O poder de saber o que você não sabe” (Adam Grant)


Adam Grant foi meu professor durante meu MBA em Wharton. Ele é especialista em estratégia organizacional, mas baseado em ciência do comportamento, sempre pautado em evidências. “Pense de novo” encoraja uma mentalidade mais flexível, em que é aceitável cometer erros e fazer ajustes sempre que necessário, em vez de tentar alcançar uma perfeição inatingível.


 

Grazielle Viana, CEO da M2 Cloud & Security


“Outliers – Fora de Série” (Malcolm Gladwell)


“Outliers” oferece uma visão crítica e complexa do sucesso, desafiando a ideia de que grandes conquistas são resultado apenas de talento e esforço individual. Traz uma relação de fatores que estão ligados ao sucesso, como oportunidades, cultura, resiliência e até mesmo sorte. Seu texto me trouxe uma percepção maior sobre a importância do networking de qualidade. Outro ponto importante, que corrobora com o que penso, é sobre a necessidade de treino consistente para alcançar a excelência em algo, o que ele define como a teoria das 10 mil horas.


 

Deh Bastos, comunicadora e diretora executiva de criação na Map Brasil


“A Regra é Não Ter Regras: A Netflix e a cultura da reinvenção” (Erin Meyer e Reed Hastings)


O CEO da Netflix Reed Hastings e a expert em negócios Erin Meyer falam sobre os três pilares que fundamentaram a cultura Netflix: Densidade de Talentos, Cultura de Sinceridade e Transparência e Remoção de Controles. As entrevistas com os colaboradores dão o tom de realidade para o que parece difícil de acontecer no dia a dia de uma companhia internacional. O maior insight pra minha carreira como liderança foi: Remoção de Controle está no desejo intenso de inovação, de reinvenção, de não incômodo com o incômodo. Se o objetivo for “prevenção de erros”. vá de controle, se o objetivo for inovação, abra mão do controle absoluto. “Se você encarar o que está evitando desesperadamente, é mais provável que reme naquela direção, foque no aprendizado e não no erro”, afirma Reed Hastings.


 

Erica Fridman, sócia-fundadora da Sororitê


“The Secrets of Sandhill Road – Venture Capital and how to get it” (Scott Kupor)


Sandhill Road, no coração do Vale do Silício, é o epicentro onde os principais fundos de Venture Capital e as startups de sucesso estão localizadas. O livro “Os Segredos do Sandhill Road” mergulha nos bastidores desses fundos, revelando os motivos por trás de suas decisões, como geram lucro e enfrentam os desafios do mercado. Essencial para aspirantes a investidores e empreendedores em busca de financiamento, este guia aborda de forma clara e acessível os conceitos fundamentais do mundo do Venture Capital. Compreender os incentivos dessa indústria é crucial para navegar com sucesso nesse ecossistema.


 

Bruna Milet, CMO da Sympla


“Pequeno tratado das grandes virtudes” (André Comte-Sponville)


Para quem gosta bastante de ler, como é meu caso, é difícil (se não impossível) escolher o livro que mais me marcou. De Monteiro Lobato, que me apresentou o mundo dos livros, passando pela poesia de Fernando Pessoa e os romances arturianos de Marion Zimmer Bradley, sem esquecer das biografias e até chegar aos livros de negócios, cada autor e estilo tem seu lugar na minha estante, e todos me proporcionaram aprendizados, reflexões e diversão. Dito isso, um livro que me marcou bastante é “Pequeno tratado das grandes virtudes”, do filósofo francês contemporâneo André Comte-Sponville. Li essa obra no início da faculdade e reli recentemente, e o mesmo texto me impactou de formas diferentes. A importância da moral e das virtudes humanas se mantém, com destaque para o amor. Para a jovem de 18 anos, o que mais chamou a atenção foi a reflexão filosófica de valores com mais de 2 mil anos. Relendo agora, já sendo executiva e mãe e ciente das imperfeições do mundo, se sobressaiu a questão da importância de falar sobre as virtudes (e menos sobre as falhas) e a premência de ensiná-las da forma mais efetiva, que é pelo exemplo, em todos os ambientes. Afinal, a busca pelos valores e comportamentos que nos tornam humanos, e bons humanos, é mais atual do que nunca.


 

Maria Colli, fundadora da Pampili


“Mitos da liderança” (Jo Owen)


Para mim, esse livro se destaca por oferecer uma visão perspicaz e desafiadora sobre conceitos tradicionais de liderança. A obra desconstrói ideias pré-concebidas e mitos populares, convidando os leitores a repensar suas abordagens e estratégias de liderança. Ao explorar casos reais e evidências concretas, o autor apresenta uma perspectiva acessível e aplicável, proporcionando insights valiosos para líderes de todos os níveis. Esse livro me acompanhou em meu caminho de desenvolvimento profissional.


 

Daniele Botaro, diretora de diversidade e inclusão para a Oracle América Latina


“A Menina que Roubava Livros” (Markus Zusak)


Durante meu doutorado em Munique, em 2008, fui profundamente tocada pelo livro “A Menina que Roubava Livros”. Eu mergulhei na história de Liesel Meminger, e muitas vezes senti como se estivesse vivendo suas aventuras, especialmente por estar em lugares tão semelhantes aos descritos no livro. O que mais me marcou foi a maneira como a curiosidade e a sede por novos pontos de vista moldaram a jornada de Liesel. Ela encontrava em suas leituras, algumas das quais roubadas e proibidas, um portal para realidades completamente distintas das quais jamais teria acesso de outra forma. Essa capacidade dos livros de nos transportar para além de nós mesmos, para outros tempos e lugares, é algo verdadeiramente poderoso e inspirador.


 

Ana Abreu, COO da WeClever


“Faça acontecer” (Sheryl Sandberg)


Eu li “Faça Acontecer” há alguns anos e ele foi essencial para tomadas de decisões da minha vida e carreira que mudaram totalmente o rumo do que viria a acontecer em seguida, como me tornar sócia de uma empresa de tecnologia. É um livro riquíssimo sobre mulheres na liderança e trata de assuntos cada vez mais atuais.


 

Fabíola Meira de Almeida Breseghello, CEO do Meira Breseghello Advogados


“Mulheres que correm com os lobos” (Clarissa Pinkola Estés)


Eu estava em Buenos Aires, buscando algum livro em espanhol e o título me chamou atenção, pois estava em uma fase de carreira trabalhando em um escritório de advocacia predominantemente masculino e me questionava se estava no lugar certo. Se eu que estava errada de querer crescer mais, me desenvolver mais e conquistar mais espaços enquanto mulher. Depois da leitura, descobri que não existe nada de errado em buscar nossa energia vital, de querer ser melhor e liderar.


 

Regina Schneidewind, CEO do Gallerist


“Quem Disse Que os Elefantes Não Dançam” (Louis V. Gerstner Jr.)


Leitura simples e rápida, este livro revela que o caminho para o sucesso empresarial muitas vezes é surpreendentemente simples. Embora trabalhoso, consiste em realizar as tarefas básicas com excelência, contar com as pessoas adequadas e manter o foco no núcleo do negócio. Esses princípios fundamentais são essenciais para garantir o crescimento e a sustentabilidade de uma empresa a longo prazo. Portanto, a simplicidade não deve ser subestimada, pois pode ser o diferencial que leva uma empresa ao sucesso.


 

Thaís Giraldelli, fundadora da Lash House Brasil e estrategista do mercado internacional de beleza


“O lado difícil das situações difíceis: Como construir um negócio quando não existem respostas prontas” (Ben Horowitz)


Segundo o autor, não importa quem você seja, existem dois tipos de amigos que são essenciais na vida. O primeiro tipo é aquele que você pode chamar quando alguma coisa boa acontece porque essa pessoa sempre fica animada e empolgada pelos seus feitos. Você precisa de alguém que realmente fica mais empolgado do que você mesmo. Não é inveja nem falsidade, é animação de verdade. O segundo tipo de amigo é aquele que você chama quando as coisas saem terrivelmente errado, quando sua vida está em jogo e você só tem direito a uma ligação. Para quem você irá ligar? Para Ben Horowitz, Bill Campbell é os dois tipos de amigo em uma pessoa só.


 

Stephanie Stein, fundadora Joyful Brands


“O Poder Meta-Humano” (Deepak Chopra)


Em um universo em constante transformação, “O Poder Meta-Humano” emerge como um farol de inspiração e empoderamento para mim, designer de joias e co-fundadora da Joyful Brand, especializada em peças exclusivas para o mercado corporativo. Assim como cada joia que crio é uma expressão única de identidade corporativa, as ideias revolucionárias de Chopra desafiaram meus conceitos tradicionais, levando-me a explorar novos horizontes de criatividade e intuição. Ao conectar-me com meu eu interior e ativar meu potencial meta-humano, descobri novas formas de expressão que transcendem o convencional, moldando um futuro mais próspero e vibrante não apenas para mim, mas também para as marcas que represento.


 

O dia 23 de abril foi escolhido em homenagem aos escritores Miguel de Cervantes, Inca Garcilaso de la Vega e William Shakespeare, que morreram nesse dia, e foi incluído no calendário mundial pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) para incentivar a leitura.





11 visualizações

Comments


bottom of page